Luciene Silva

Luciene Silva

domingo, 1 de julho de 2012

SOMOS PREVENCIONISTAS


video

A História do Beija-Flor

... Era uma vez uma floresta num lugar longínquo, onde o Homem ainda não tinha chegado. Nessa floresta viviam muitos animais de diferentes espécies, tamanhos, cores e feitios. Era ainda o tempo em que os animais falavam.
Certo dia, houve um incêndio, um grande incêndio, como nunca antes havia sido visto. Perante a tragédia, o pânico instalou-se. Os animais fugiam num alvoroço, cada um procurando, da melhor forma possível, fugir às chamas, ao fumo sufocante e ao intenso calor que se fazia sentir, só pensando em colocar-se a salvo o quanto antes.
Mas... naquele cenário caótico, de desespero e medo colectivos, um pequeno animal teve um comportamento diferente. Na sua fragilidade, na sua singela figura, um beija-flor voava até ao lago e, com o seu pequenino e aguçado bico, recolhia, uma a uma, lenta mas persistentemente , gotinhas de água atrás de gotinhas de água, que ia depois deixando cair sobre o incêndio que lavrava cada vez mais descontrolado.
Um outro animal, observando intrigado o comportamento do pequeno beija-flor, interrompeu a sua fuga e perguntou:
- Beija-flor, mas tu estás louco? Porque te arriscas assim? Tu achas verdadeiramente que vais conseguir apagar o incêndio dessa forma?
O Beija-flor respondeu então:
- Não... claro que não, eu sei que o meu pequeno esforço não será suficiente para apagar este incêndio tão grande mas... eu estou apenas...
a cumprir a minha parte!

segunda-feira, 25 de junho de 2012

Quem paga pelo acidente de trabalho


Quem paga pelo acidente de trabalho.

O Brasil foi o primeiro país a ter um serviço obrigatório de segurança e medicina do trabalho em empresas com mais de 100 funcionários, isto em 1972, desta data ate hoje já se passaram 40 anos, e os números estão cada vez mais assustadores, dados citados pela presidente do Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais do Trabalho (Sinait), Rosângela Silva Rassy, em audiência pública na Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH),disse que 3,8 milhões de acidentes de trabalho ocorreram  no Brasil no período de 2005 a 2010 mataram 16,5 mil pessoas e incapacitaram 74,7 mil trabalhadores.
Para o presidente do Sintespar – Sindicato dos Técnicos de Segurança do Trabalho do Estado do Paraná, Adir de Souza, “os números são preocupantes! O Brasil tem normas, leis maravilhosas, o que falta é serem cumpridas. Em 34 anos na área de segurança no trabalho, sempre digo que é questão de CULTURA, uma “cultura prevencionista”, você vê artista defendendo ararinha azul, o mico leão dourado, os bois do rodeio e não vê ninguém defendendo o SER HUMANO, o trabalhador que tem família, que necessita de uma condição digna de trabalho.”
Estatísticas mais recentes da Previdência Social mostram que em 2009 foram registrados 723,5 mil acidentes de trabalho no Brasil. Destes, quase 2,5 mil terminaram em mortes, uma média de quase sete por dia, Goiás registra diariamente, em média, 45 acidentes de trabalho. Mais de três trabalhadores perdem a vida a cada mês nesta situação, segundo dados da Superintendência Regional do Trabalho e Emprego no Estado.  Nos dados, não entram o funcionalismo público e de trabalhadores informais. Os gastos do governo com auxílio-doença, auxílio-acidente e aposentadorias por invalidez chegam a R$ 10,7 bilhões por ano.
O custo dos acidentes e doenças do trabalho para o Brasil chega a R$ 71 bilhões por ano, o equivalente a quase 9% da folha salarial do País, da ordem de R$ 800 bilhões. O cálculo é do sociólogo José Pastore, professor de Relações do Trabalho da Universidade de São Paulo (USP). “Trata-se de uma cifra colossal que se refere a muito sofrimento e perda de vidas humanas.” Para chegar a esse número, Pastore somou os custos para as empresas, para a Previdência Social e para a sociedade. Para as empresas, segundo ele, dividem-se basicamente em custos segurados e não segurados, num total de R$ 41 bilhões.
Enquanto existir a cultura da CULPABILIDADE ( busca apenas dos culpados)e não houver uma mudança para CULTURA PREVENCIONISTA, esses números tende só a crescer.
Essa conta quem paga somos todos nós.
Pense nisso!
Luciene Silva – Tecnóloga em Segurança no Trabalho 

Trabalhar para viver e não para morrer


Trabalhar para viver e não para morrer
Por Luciene Silva
Entre janeiro e outubro de 2011, pelo menos 40.779 trabalhadores foram vítimas de acidentes graves de trabalho, dos quais 1.143 morreram, segundo o Ministério da Saúde. Os dados englobam trabalhadores de diversos setores de atividade, mas se referem apenas aos atendimentos na rede de serviços de saúde credenciada do Sistema de Agravos de Notificação (Sinan). Desde 2004, uma determinação do ministério obriga os médicos a notificarem os casos graves de acidentes de trabalho.
Os números oficiais de acidentes de trabalho no País, portanto, são bem maiores que os do Ministério da Saúde, porém, são divulgados com atraso de quase um ano pelo Ministério da Previdência Social. Em 2010, foram 701.496 acidentes, 31,8 mil a menos do que em 2009. O número de mortes, no entanto, aumentou de 2.650 para 2.712. Mas ele é ainda maior.
Goiás registra diariamente, em média, 45 acidentes de trabalho. Mais de três trabalhadores perdem a vida a cada mês nesta situação, segundo dados da Superintendência Regional do Trabalho e Emprego no Estado. Os números oficiais, alarmantes, são subnotificados, porque não incluem os acidentes de trabalho ocorridos na informalidade, nem no serviço público.
Enquanto existir a cultura da CULPABILIDADE, ou seja, a busca apenas dos culpados e não cuidar da origem, esses números tende só a crescer.
Varias medidas tem sido tomado pelos governos na busca de qualificação, porem a cultura brasileira de REMEDIAR para emendar, está custando à vida de pessoas que geram a riqueza do nosso país.
A carga horária dos cursos profissionalizantes destinada à Segurança do Trabalho é vergonhosa! Exemplo disso é o descaso dos profissionais habilitados aos seus Equipamentos de Proteção Individual – EPI.
Há poucos dias em uma visita em determinada construção, vi o encarregado fazendo reparos em uma máquina em funcionamento, e fui alertá-lo que aquele procedimento poderia arrancar a sua mão. Ele, assustado, olhou-me e disse: - mas eu faço isso sempre, desde que comecei a trabalhar e nunca tive problemas. Argumentei: -Equipamentos eletrônicos e maquinas não tem cérebro nem sentimentos. Em nada vai doer nelas arrancar suas mãos, braços e sua vida!
Uma cultura prevencionista depende de todos nós, porém, existem instituições que deveriam por obrigação cuidar desse tema e não o fazem, cito aqui os sindicatos classistas e patronais- que leiam no artigo 592 da CLT- e fica a pergunta: quantos sindicatos têm um profissional capacitado em segurança no trabalho para fiscalização, conscientização e estudo dos riscos da categoria?
Se forem contabilizados os gastos com os acidentados, tanto para as empresas quanto para o governo é sabido que a prevenção é inúmeras vezes mais baixas. Prevenção é investimento e não gasto.
É triste ver a falta de conhecimento dos trabalhadores sobre seus direitos e deveres, ainda existem trabalhadores que pra não perder o emprego, por desconhecimento, se sujeitam a exercer funções de risco. Outros exemplos:
Um soldador que foi fazer um reparo de solda em um tanque de combustível vazio, resultado: 80% do corpo queimado, mutilado e sem expectativas de retorno a lida.
Um caminhão carregado de açúcar tombou na BR-153, em Itumbiara. Quando os policiais foram investigar as circunstâncias, descobriram que o motorista estava dirigindo há 15 horas, sem pausa.
A cada dia que passa se compromete mais a “QUALIDADE DE VIDA” dos trabalhadores, por falta de informação e conscientização. Devemos trabalhar para viver, viver melhor com qualidade e não para morrer! Para isso devemos unir forças, conhecimentos e buscar urgente uma CULTURA PREVENCIONISTA!

Luciene Silva – Tecnóloga em Segurança no Trabalho 

quarta-feira, 6 de junho de 2012


Certa vez, um escorpião aproximou-se de um sapo que estava na beira de um rio.
O escorpião vinha fazer um pedido:

"Sapinho, você poderia me carregar até a outra margem deste rio tão largo?"

O sapo respondeu: "Só se eu fosse tolo! Você vai me picar, eu vou ficar paralizado e vou afundar."
Disse o escorpião: "Isso é ridículo! Se eu o picasse, ambos afundaríamos."
Confiando na lógica do escorpião, o sapo concordou e levou o escorpião nas costas, enquanto nadava para atravessar o rio.
No meio do rio, o escorpião cravou seu ferrão no sapo.
Atingido pelo veneno, e já começando a afundar, o sapo voltou-se para o escorpião e perguntou: "Por quê? Por quê?"
E o escorpião respondeu: "Por que sou um escorpião e essa é a minha natureza."

Infelizmente existem pessoas assim, te usam e quando não precisa mais de vc te crava um belo de um ferrão que a principio vc nem sente ! ....eles são chamados de psicopatas.... eles representam muito bem ....seus talentos teatrais e seu poder de convencimento são tão impressionantes que chegam usar pessoas com a única intenção de atingir os seus sórdidos objetivos ! esses "PREDADORES SOCIAIS" com aparência humana estão por ai misturados conosco...podem ser amigos.......parentes .....homens , mulheres de qualquer raça, credo ou nível social. Trabalham, estudam, fazem carreiras, se casam , tem filhos, mas definitivamente não são como a maioria das pessoas...aquelas que chamaríamos de "pessoas do bem " ...eles podem arruinar empresas e famílias ...mas não matam .....e , exatamente por isso podem ficar até uma vida inteira sem serem descobertos e diagnosticados...por serem charmosos e inteligentes , não costumam levantar a menor suspeita no ambiente em que vivem...podemos encontra-los disfarçados de religiosos, bons políticos, bons amantes.....a realidade é contundente e cruel...o maior problema é que a maioria esmagadora deles estão convivendo com a gente diariamente...cruzam os nossos caminhos, frequentam as mesmas festas, dividem o mesmo teto, dormem na mesma cama...... Vc conhece alguém mais ou menos assim ?

trecho do livro " Mentes Perigosas" Ana beatriz Barbosa 

quinta-feira, 10 de maio de 2012

“ Que comece por mim a paz, o amor, o sorriso e a honestidade e se estenda a todos que necessitarem".

segunda-feira, 9 de abril de 2012

Um bairro que encanta... Recanto do Sol.


Recanto do sol, não é só um recanto onde a luz ilumina, é uma nova cidade nascendo dentro da cidade, um recanto que inspira poemas e canções, nascem idealistas, crescem esperanças.
Um canto de encanto, onde a educação é levada a serio, através de projetos, como a Casa Brasil, Mais educação, creches, escolas e muita dedicação.
Falar do recanto do Sol, não pode se resumir apenas no bairro, é uma região circundada por  11 outros bairros de nomes diferentes, porem alimentados por um só setor. Recanto também é Jardim das Américas terceira etapa (Cantinho querido do nosso deputado Carlos Antonio), vila Norte, residencial das flores, chácaras de retiro,(refugio de grandes artistas como a linda Magnólia Felix), Jardim dos ipês é Portal do sol, é tanto que palavras, sem fim, vêm para aquecer o poder que ali exerce as benesses de tanta luz.
Cada dor ali encontrada foi superada por 100 amores em felicidade somada a dedicação de um povo que trabalha! Muitos longe, lá pelos idos do DAIA, e outros que ali fazem seu comercio empreendendo numa comunidade que trás da distancia, as facilidades de um comercio familiar.
Luciene Silva.

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

Adeus.."Romântico Brasileiro, Sem Vergonha",

Hoje sou feliz, num dia com uma tristeza, tristeza inevitável de quem perde alguém que tanto gosta... Sempre fui fã, do estilo, da interpretação de Wando! Suas musicas embalaram minha infância, adolescência de amores e desamores, fica as alegrias de ter presenciado sua carreira, suas gargalhadas, estilo sensual onde a beleza só ficava no seu jeito de ser, galante que amava as mulheres... Nós mulheres fomos sim, amadas por este que dedicou sua vida a encantar aquelas que mais que aplausos sempre jogavam suas calcinhas... Justo!. Um dia sem calcinha!


terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Esse é Ulisses Aesse!


Ele brinca com cores e flores.
Formatos de encantos
Mostrando que é criança em esperança
Meu amor do dia
Das sombras nada se vê
Porque a luz reluz em todos os lados
Sincero nos traços e atos
Esse é Ulisses Aesse!

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Som alto nos carros causa impotência sexual!



Um aviso a esta turminha que gosta de ficar com o som alto no carro!
Pesquisas já comprovam a ligação direta entre os efeitos acumulativos de ruídos com a impotência sexual! Dai vem uma das explicações do maior números de viagras (medicamentos que se propõem a facilitar a obtenção da ereção por vasodilatação peniana) vendido para menores de 30 anos!
Os efeitos prejudiciais dos ruídos são cumulativos, Sabendo disto, cada um de nós deve evitar a exposição dos nossos ouvidos ao ruído intolerável, na medida em que os podemos evitar. Devemos nos lembrar de que as vibrações fortes e os ruídos excessivos desgastam as células sensoriais dos ouvidos e elas se tornam incapazes de reação. Um dos efeitos piores dos ruídos indesejáveis é o aumento da pressão sanguínea que pode levar ao enfarte. A pressão alta é ligada ao stress e a hipertensão assassina é armada pelo ruído intenso e contínuo.
Doenças ou mal estares provocados pelos ruídos indesejáveis: úlceras, enxaquecas, impotência, esterilidade, doenças dos rins e do fígado, perturbações gastrointestinais, falta de resistência a doenças infecciosas, vertigem. Diminuição da glândula do timo, aumento de tamanho da suprarrenal, stress metabólico no complexo pituitário suprarrenal provocando atividade excessiva do córtex da suprarrenal, vaso constrição, aumento no número das pulsações das pupilas. Resultados pesquisados por diversos grupos de estudos, nos Estados Unidos.
Luciene Silva = tecnóloga em Segurança no Trabalho.

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Direitos e deveres em segurança no trabalho


No Brasil se fala muito em direitos dos trabalhadores, porem poucos buscam conhecimento a respeito dos deveres a respeito de sua segurança, a segurança no ambiente laboral.
Para muitos falar em EPI (Equipamento de proteção individual) é como se estivessem buscando armaduras para o trabalho, esquecendo que esses mesmos EPIs, podem ate salvar sua vida, ou também, evitar problemas futuros como a Lesão do Esforço Repetitivo a lesão causada pelo desempenho de atividade repetitiva e continua. Muitos estudiosos e instituições preferem chamar as LER de DORT-doenças osteomusculares relacionadas ao trabalho. “Segundo a norma técnica do INSS sobre DORT (Ordem de Serviço no. 606/1998), conceitua-se as lesões por esforços repetitivos como uma síndrome clínica caracterizada por dor crônica, acompanhada ou não e alterações objetivas, que se manifesta principalmente no pescoço, cintura escapular e/ou membros superiores em decorrência do trabalho, podendo afetar tendões, músculos e nervos periféricos. O diagnóstico anatômico, preciso desses eventos é difícil, particularmente em casos subagudos e crônicos, e o nexo com o trabalho tem sido objeto de questionamento, apesar das evidencias epidemiológicas e ergonômicas.”.
Segundo o Dr. Dráuzio Varella “Dor crônica é uma doença debilitante com consequências nefastas para a condição física, psicológica e o comportamento. Seus portadores desenvolvem depressão, deficiências psicomotoras, lembranças e sensações de perda que muitas vezes guardam pouca relação com o quadro doloroso. Tais sintomas costumam ser interpretados como característicos de patologias psiquiátricas, quando na verdade refletem apenas a semelhança que existe entre dor e memória.”
Dai costumo dizer que esta responsabilidade casada, de empregador e empregado, a respeito da segurança no trabalho, deve viver em harmonia, pois, quem deve mais se preocupar com sua saúde é você mesmo, trabalhador! As leis a cada dia exigem muito do empregador, mas a escolha é sua, trabalhar com segurança ter seu dinheiro, passear com sua família, ter uma vida saudável, ou tentar na justiça, (digo “tentar”, porque se provar que o empregador forneceu os EPIs é perda na certa) receber uma indenização e gastar tudo com remédios, cadeira de rodas, fisioterapias, psicólogas...
Leis foram elaboradas para proteger e dar direitos aos trabalhadores, qualquer trabalhador pode saber sobre as leis, o que devemos ter em mente é que temos direitos e junto temos deveres, algo que alguns esquecem.

O que aprendi em 2011...

01-   Ter mais fé que medo.
02-   Filhos crescidos trabalho dobrado.
03-   Mãe e avó nunca mudam... Sempre vai achar que sou criança ( e eu adoro isso)
04-   Amigos de verdade, mesmo eu estando distante e nunca aparecendo, continuam me amando. E eu os amo ainda mais.
05-   Quer transformar um amigo em inimigo, seja sócio dele.
06-   Meu limite de paciência tem limite...
07-   Existem varias formas de amar... A que mais gostei. Sem compromisso, sem ciúmes, sem cobranças...
08-   Amigos falsos são como sombras só aparecem quando você brilha.
09-   Melhor que o plano B é ter os planos C e D de reserva, e nenhum tenha vinculo um com o outro.
10-   Ninguém tem o poder de me deixar com raiva, se eu não permitir.
11-   Não perder tempo com quem não merece nem um segundo da minha atenção.
12-   Aprendi a ser mais objetiva nos meus desejos.
13-   Igreja não salva ninguém, mas ajuda a aprender sobre perdão.
14-   Perdoar é mais fácil que imaginava.
15-   Aprendi que só estarei perdoando aos outros quando me perdoar por ter aceitado a ofensa, depois é facim facim...o difícil é assumir que eu tive responsabilidade no ato, eu permiti.
16-   Mãe nunca tira férias.
17-   Sou capaz de fazer e falar coisas que não deveria.
18-   Nunca confie numa mudança rápida de ninguém...
19-   Quem fala mal dos outros pra você, vai falar mal de você.
20-   Ter muita cautela com o que pedir pra Deus, Ele atende pedido rápido.
21-   Ainda tenho muito a aprender....


Escritores...quem entende!



A maioria dos escritores que conheço, são assim, parece que o corpo age como armaduras pesadas e com mordaça, ultrapassam os limites do sano atingindo o insano. É como se as letras e os conhecimentos a serem transmitidos, nas linhas e entrelinhas, fossem maiores que o próprio corpo. A busca do entender se perde nos segredos que as letras ainda não definem.
Eu sou apaixonada por Clarisse Lispector, me identifico na intensidade, na tempestade de sentimentos, e na clareza da pronuncia...
Sou como você me vê.
Posso ser leve como uma brisa ou forte como uma ventania,
Depende de quando e como você me vê passar.

http://www.youtube.com/watch?v=9ad7b6kqyok

Desabafo.




Se as perguntas mudaram, é porque as respostas já não convenciam...
Nada é suficiente, quando o vulcão esta em erupção...
Não se convença com minha aparecia pacifica, eu quero muito da vida, e tenho.
Sou normal em busca do anormal essa logica do que não tem.
Sou só isso...

Luciene Silva


Já não meço meus dias em horas, mas em sentimentos.
Sinto corrido, sem tempo, porque sinto você próximo, mas não te toco.
Sinto lento, sem graça, pois seu tempo anda sem o meu tempo.
Vem tempo...

Luciene Silva

Sou assim.



Intensa... Suprema... totalmente sem controle!
Não subestime as coisas que posso fazer
Há uma chama incendiaria no meu coração...

Luciene Silva

é só sonho...



Já não tenho mais paciência com o controle remoto, os canais já mudam sem  a sincronia do pensamento.
Já que não domino meus pensamentos, que venha em sonhos, à vontade e o desejo, mais livres das amarras do imposto, justificados então serão tudo aquilo que instituirão pecado.
É só sonho!
  Luciene Silva